Portugueses na Segunda Guerra Mundial

Portugueses na Segunda Guerra Mundial

15,92€ 19,90€
-20%

Ler Mais

Sinopse

Os anos entre 1939 e 1945 marcaram a sociedade e a população portuguesas das mais variadas formas. Se a Segunda Guerra Mundial persiste um tema inspirador de grande fascínio e interesse mundiais, o público português

merece ser esclarecido e informado a respeito desse subestimado, mas importante e fascinante, capítulo da nossa História.

Devido à neutralidade oficial do país, a participação portuguesa no mais devastador de todos os conflitos da Humanidade permanece pouco falada. O público português conhece apenas os heróis e os mártires afetados pela ditadura salazarista, desconhecendo os que vivenciaram a brutalidade do Eixo.

E há exceções - Sousa Mendes, Branquinho e Garrido salvaram inúmeros refugiados das garras nazis. Desde outros diplomatas mais «anónimos» a cidadãos comuns, muitos contribuíram para atenuar o oceano de sangue derramado pelo Eixo.

Detalhes

  • Título Original Portugueses na Segunda Guerra Mundial
  • Categoria Não Ficção
  • Sub-categoria História
  • ISBN 9789897546211
  • Nº de Páginas 336
  • Data de Lançamento 7/2023
  • Dimensões 233 x 150 x 26 mm
  • Formato Capa Mole
  • Peso 417g

Citações

  • «Lisboa, 1 de setembro de 1939. Um ditador encontra-se com um representante de outro ditador. A conversa não é banal nem relaxante. Na qualidade de chefe da legação alemã em Portugal, o barão Oswald Hoyningen-Huene informa Salazar da declaração de guerra e subsequente invasão da Polónia pela Alemanha. O diplomata nazi pergunta se Portugal iria manter a neutralidade, garantindo que o governo nazi a respeitaria. O antigo seminarista e monárquico oriundo da Beira Alta responde que não existe "nenhum compromisso em sentido contrário". Pouco depois, envia uma mensagem à imprensa portuguesa a anunciar que a secular aliança com Inglaterra não forçava o país a entrar no conflito: "Felizmente, os deveres da nossa aliança com Inglaterra, que não queremos eximir-nos a confirmar em momento tão grave, não nos obrigam a abandonar nesta emergência a situação de neutralidade." No dia seguinte, a 3 de setembro, Londres e Paris declaram guerra a Berlim, iniciando o que tantos temiam: a Segunda Guerra Mundial.