Bolor

Sinopse

Augusto Abelaira estará sempre para além de qualquer classificação que lhe queiramos atribuir já que a sua invulgar criatividade o projecta para além de géneros, correntes, geração ou outro contexto em que tentemos perscrutá--lo. Bolor, datado de 1968, tem no entanto sido considerado um dos livros que marcaram a passagem à pós-modernidade na literatura portuguesa. O que é indiscutível, é que este título tanto vem confirmar a maturação literária do seu autor como o seu empenhamento em agir de forma actuante sobre um modelo de sociedade que tenta ainda aprisionar os comportamentos dentro de valores que já pouco ou nada têm a ver com aquilo que mudou no quotidiano e na consciência das pessoas. Neste romance, sem perder a transparência da sua escrita, Abelaira inventa uma nova configuração ficcional, subtilmente mais capaz de deixar expandir-se a sua ânsia de aprofundar o questionamento do real. Sob forma diarística, Humberto, Maria dos Remédios e Aleixo são misteriosamente e à vez autores deste romance, que tem tanto de realista como de lúdico, tanto de ironicamente céptico como de passional e provocante, expondo a desagregação de um casamento pela acção erotizante e subversiva do terceiro pólo deste (afinal) triângulo amoroso.

Detalhes

  • Título Original BOLOR - AUGUSTO ABELAIRA
  • Categoria Ficção
  • Sub-categoria Romance Contemporâneo
  • ISBN 9789722332989
  • Nº de Páginas 140
  • Data de Lançamento 1/2005
  • Dimensões 230 x 150 x 13 mm
  • Formato Capa Mole
  • Peso 314g

Opiniões

Baseado em 1 opinião Partilhar Opinião