Utilizamos cookies para lhe oferecer um serviço melhor. Continue a navegar ou saiba mais.


Adicionar ao carrinho

18,95 €

Editora: Marcador
Data 1ª Edição: 22/09/2016
Nº de Edição:
ISBN: 978-989-75-4263-3
Nº de Páginas: 384
Dimensões: 156x236mm
Adicionar à lista
Adicionado à lista:
Visualizações: 7455

 

Partilhar:
.
Os Fracos São os Que Sofrem Mais?
por Yanis Varoufakis (Autor)

A crise mundial não acabou. E está a agravar-se.
Os Fracos São os Que Sofrem Mais? é um livro que revisita a História da união monetária da Europa, mas onde os Estados Unidos desempenham um papel principal.

O livro começa com os acontecimentos em Washington D.C., nas vésperas do Choque Nixon, em agosto de 1971, e acaba com um relato de como a crise da zona euro afeta os Estados Unidos e a economia mundial nos dias de hoje.

Percorrendo o tempo que decorre entre o pós-Segunda Grande Guerra e os dias de hoje, Varoufakis conta-nos de que forma a zona euro emergiu, não como um caminho para uma prosperidade par­tilhada, mas como um esquema piramidal de dívida, tendo no seu topo países como a Grécia, Irlanda, Portugal e Espanha. Apoiada no setor bancário, a sua lamentável arquitetura garantiu que o colapso seria simultaneamente inevitável e catastrófico.

Recorrendo à sua própria experiência pessoal nas negociações que liderou em nome da Grécia com os especialistas financeiros da zona euro, e propondo políticas e alternativas concretas, o autor mostra-nos de que forma engendrámos esta confusão e dá pistas valiosas sobre como podemos livrar-nos dela.

Varoufakis demonstra que as origens do colapso económico são muito mais profundas do que os nossos líderes políticos estão dispostos a admitir - e que até agora nada fizemos para as ultrapassar.

Os Fracos São os Que Sofrem Mais? revisita a nossa História, lembrando-nos de que precisamos de conhecê-la para salvar o capitalismo europeu de si próprio.


Comentários:
"Para percebermos o presente e imaginar-mos o futuro, é crucial conhecermos o passado.
A economia, por vezes, repete-se.
As instituições, por vezes, repetem os erros.
As nações, leia-se, populações pagam a fatura."
colocado por Gonçalo Belchior, em 19/4/2017
Gostou deste comentário? Sim Não