Utilizamos cookies para lhe oferecer um serviço melhor. Continue a navegar ou saiba mais.


Adicionar ao carrinho

12,90 € 11,61 €

Coleção: Diversos
Nº na Coleção: 103
Data 1ª Edição: 19/04/2018
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-6200-9
Nº de Páginas: 144
Dimensões: 150x230mm
Adicionar à lista
Adicionado à lista:
Visualizações: 424

 

Partilhar:
.
O Domingo das Mães
por Graham Swift (Autor)

30 de março de 1924, Domingo da Mãe em Inglaterra, um dia em que as criadas regressam a casa para visitar as suas famílias. Mas Jane Fairchild, de 22 anos, é orfã e passa esse dia de modo diferente.

Encontra-se com Paul, o jovem herdeiro de uma propriedade vizinha
. Jane e Paul mantêm uma relação secreta há já alguns anos, contudo, ele irá desposar em breve uma rapariga da sua condição social. Os dois jovens fazem amor pela última vez e, ao despedirem-se, sucede algo inesperado que muda para sempre a vida de Jane...

Nos anos que se seguem, ela desenvolve o seu interesse pela leitura e vai trabalhar numa livraria em Oxford, acabando por se tornar uma romancista de sucesso. É um livro deslumbrante, impregnado de sensualidade, paixão, emoção. Graham Swift, Prémio Booker, na plenitude da sua maturidade literária.

Autor de grande prestígio internacional, reconhecido com diversos prémios e nomeações, entre eles o Booker Prize.


Seja o primeiro a comentar este livro
Citações
  • «A demonstração do talento de Graham Swift, autor premiado com o Booker Prize.» | The Washington Post
  • «Requintado, emocionante, inesquecível.» | Entertainment Weekly
  • «Intenso... cativante, comovente, encantador.» | The New York Times
  • «Uma espécie de Cinderela feminista... inquietante... um romance com uma nova intensidade emocional.» | The New York Times Book Review
  • «Magistral... fulgurante e irresistível, mesmo nos momentos mais trágicos. Uma pequena obra-prima.» | The Guardian
  • «Talvez o melhor romance de Graham Swift até à data.» | The Observer
  • «Amor, morte e muito mais num romance curto mas poderoso. Uma escrita perfeita.» | The Daily Mail
  • «Não só o mais comovente e elaborado, mas também o mais fascinante livro de Graham Swift.» | Financial Times