Utilizamos cookies para lhe oferecer um serviço melhor. Continue a navegar ou saiba mais.


Adicionar ao carrinho

23,90 € 21,51 €

Editora: Manuscrito
Data 1ª Edição: 06/04/2017
Nº de Edição:
ISBN: 978-989-88-1886-7
Nº de Páginas: 528
Dimensões: 155x233mm
Adicionar à lista
Adicionado à lista:
Visualizações: 1211
Presente em:
1 lista de favoritos

 

Partilhar:
.
Isabel de Aragão - Entre o céu e o inferno - A rainha que Portugal imortalizou como Rainha Santa
por Isabel Stilwell (Autor)

As primeiras 20 encomendas recebem o livro autografado pela autora!

Entre o céu e o inferno. Assim foi a vida de Isabel de Aragão.

Nasceu envolta no saco sagrado, a 11 de fevereiro de 1270, em Saragoça. Cresceu a ouvir histórias de grandes conquistas, de reinos divididos por lutas sangrentas entre pais e filhos e entre irmãos. A história de Caim e Abel. Uma história que se repetiu ao longo da sua vida…

Aos 12 anos casou com D. Dinis, rei de Portugal, e junto dele governou durante 44 anos. Praticou o bem, tocou em leprosos e lavou-lhes os pés, gastou a sua fortuna pessoal a ajudar os que mais precisavam e mandou construir o mosteiro de Santa Clara. Da sua lenda fazem parte milagres.

Junto dos seus embaixadores e espiões, com a ajuda da sua sempre fiel Vataça, jogou de forma astuta no tabuleiro do poder. Mas a história teimava em repetir-se. Caim e Abel. Pai contra filho, o seu único filho varão contra os meios-irmãos bastardos.

Sempre acreditou que a película em que nascera a protegeria de tudo, mas nos últimos tempos de vida sentia-se frágil e vulnerável. E duvidava. Onde falhara como mulher e mãe?

Isabel Stilwell, a autora bestseller de romances históricos, traz-lhe a extraordinária e emocionante história da rainha que Portugal imortalizou como Rainha Santa.


Seja o primeiro a comentar este livro
Citações
  • «- Bom dia, Rosa de Aragão - disse-lhe aquele que não podia dei­xar de ser o rei de Portugal, entregando-lhe uma rosa cor de sangue, o perfume intenso.

     

    Isabel gostou do que viu. O rosto que a observava sorria, os olhos gran­des de um castanho-esverdeado pareciam tranquilos, o nariz aquilino era proporcionado. Mas o que mais a atraiu foi a barba arruivada, contrastando com a pele clara coberta de sardas.Mais do que conhecê-lo, sentiu que o reconhecia.» | Isabel Stilwell, em Isabel de Aragão - Entre o céu e o inferno

  • «Isabel inspirou fundo. Sabia que corria riscos, mas como é que podia ficar de braços cruzados perante todas aquelas criaturas de Deus que mor­riam de fome e doença, aquelas mulheres obrigadas a vender o corpo para alimentar os filhos? Defendeu-se, como que ensaiando a defesa que um dia teria de fazer perante o rei.

     

    - Limito-me a seguir o exemplo da minha tia-avó Isabel e o da minha mãe, Berengária. Além disso, o meu pai autorizou-me a dispor do que me dava como entendesse. E estava perfeitamente consciente de que ia dar tudo aos mais necessitados.» | Isabel Stilwell, em Isabel de Aragão - Entre o céu e o inferno

OBRAS DO MESMO AUTOR
D. Teresa

D. Teresa

Edição Especial
LIVROS RELACIONADOS