Utilizamos cookies para lhe oferecer um serviço melhor. Continue a navegar ou saiba mais.


Adicionar ao carrinho

19,95 €

Nº na Coleção: 500
Data 1ª Edição: 03/05/2011
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-4511-8
Nº de Páginas: 400
Dimensões: 150x230mm

Opiniões em Blogues

Adicionar à lista
Adicionado à lista:
Visualizações: 2716
Presente em:
2 listas de recomendações
5 listas de favoritos

 

Partilhar:
.
C
por Tom McCarthy (Autor)

C conta-nos a história de Serge Carrefax. Nascido em 1898 filho de um homem fascinado pelas experiências com as comunicações sem fios que ao mesmo tempo dirige uma escola para crianças surdas, Serge passa a infância entre o silêncio e o ruído de estática, e toda a sua vida ficará marcada pelos mistérios da comunicação: pelos códigos usados durante a Primeira Guerra Mundial, pelas sessões espíritas em Londres após a guerra e pelos enigmas do Egipto. C é um romance ambicioso e original no seu alcance histórico e psicológico - e na sua tentativa de decifrar um pouco os códigos e ritmos obscuros que regem a vida e nos mantêm todos interligados.


Comentários:
"CONTÉM SPOILERS]
Tom MacCarthy elege Serge Carrefax para personagem central deste seu livro "C" e tudo gira sua volta. Logo no inIcio do livro deparamo-nos com o nascimento de Serge, um parto realizado pelo Dr. Learmont, uma escrita que nos cativa logo à partida. Serge filho de Simon uma personagem muito peculiar, seu pai um inventor, um cientista e tambem um professor que dirige uma escola para surdos numa provincia em Inglaterra, uma fazenda em Versoie. Absorvido no seu trabalho de ensinar e tentar patentear algo estrondoso, o seu transmissor, relega para segundo plano sua esposa e com isso a relacao entre ambos segue o mesmo rumo, que na mesma fazenda ela assume o controlo da fabricacao de seda, mesmo que Simon, seu marido, pense o contrario.

Sophie irma mais velha de Serge eclipsa-se no primeiro capitulo, tem uma morte subita aos dezassete anos, Sophie muito diferente do irmao, Serge tende a seguir os passos do pai, Sophie uma quimica/botanica do melhor que a sua escola ja teve, as suas experiencias nocturnas nos laboratorios da fazenda sao deveras interessantes.

Widsun amigo da famlia chega à fazenda com um cinetoscopio, o qual vai fazer maravilhas entre a comunidade local. O teatro anual das criancas da escola de dia (criancas surdas) ocupa uma grande parte deste capitulo e tem como catapulta a preparacao do funeral de Sophie, um funeral teatral e excentrico.

Apos a morte da irma Serge viaja para Klodebrady, uma cidade Alem que vive exclusivamente das suas termas e das ditas aguas miraculosas, uma passagem que serve para Serge crescer como personagem. Vive obcecado sexualmente por Tnia a sua massagista corcunda, mas passa os dias com uma visitante das mesmas termas onde os dois empatizam nos momentos que precedem as ditas curas.

MacCarthy nesta parte do livro desenvolve a perspectiva entre o lado emocional e racional.

Tom MacCarthy com este seu "C", todos os capitulos do livro comeam por C (Coifa - Chuto - Coliso - Chamada) as palavras-chave ou as mais marcantes tambem comecam por C (Comunicao, Carbono, Cocana), talvez dai advenha este titulo muito peculiar. Os temas e os seus capitulos sao muito bem estruturados, com uma linguagem acessivel mas muito detalhado, cada assunto dissecado ao pormenor, ve-se muito trabalho de bastidores do autor em quase todos os temas descritos. Este livro vai directo para a estante intermediaria pois tem de ser lido novamente tantas pequenas coisas ficaram para tras, demasiadas pontas soltas que merecem ser revistas, um livro complexo com tantas influencias (Freud, Kafka, Thomas Mann, entre outros) que realmente merece ter outra oportunidade.

Um livro realmente bom, mas ja com um elevado grau de compreensao, podemos cair na tentacao de abandonar o livro numa qualquer parte mais confusa, mas mesmo assim um livro muito bom."
colocado por Angelo Marques, em 03/7/2014
Gostou deste comentário? Sim Não
Notícias
  • Pinball Wizard | 8/7/2011, Fonte: Público / Ípsilon, Jornalista: Rogério Casanova
Citações
  • «Um intenso, esfuziante “romance de formação”... Esta obra é o remix que o romance, enquanto género, exigia urgentemente.» | Sunday Times
  • «Belíssimo... uma história empolgante... uma escrita electrizante que merece ser lida e desfrutada tanto como analisada e debatida.» | Daily Telegraph
  • «Verdadeiramente original.» | The Guardian
  • «Refrescante e esplêndido.» | The Financial Times
  • «Um dos livros mais notáveis que apareceram nas livrarias, em 2010.» | The Telegraph